Programa é pioneiro no aperfeiçoamento de lideranças estaduais e municipais

Iniciativa inovadora da Enap, o programa Liderando para o Desenvolvimento encerrou setembro com a formação da primeira turma. Com o apoio de parceiros de diversos setores, a primeira etapa prevê a capacitação de secretários estaduais em diversas pastas, como educação, saneamento, saúde e segurança pública (Liderando mudanças - Estados). A primeira turma, com foco em saneamento, alcançou 16 estados, com 37 lideranças presentes, das quais oito secretários estaduais. Foram 10 sessões ao vivo e quatro sessões assíncronas entre agosto e setembro, com instrutoria de Ian Guerreiro, mestre em produção e gestão de energias.

O primeiro módulo teve o objetivo de preparar as lideranças estaduais quanto aos efeitos do marco regulatório sobre a percepção de riscos e as decisões de investimento no setor de saneamento, a política de concessões, modelos de contratação de financiamentos e garantidas e operacionalização de contratos. Diogo MacCord, secretário Especial de Desestatização, e Martha Seillier, secretária do PPI, tiveram participações especiais no curso, que contou com 18 palestrantes especialistas na área. A avaliação final realizada pelos participantes foi de 9,5 em 10 pontos. 

A agilidade em responder às questões do novo marco do saneamento foi destacada por Paulo Lustosa, secretário executivo de Saneamento da Secretaria das Cidades do Ceará, um dos participantes da turma. “Para nós, gestores estaduais, a proposta do Liderando se reveste de importância para além do curso, de um lado por trazer para a discussão uma questão extremamente atual. Participamos de um curso que se iniciou em setembro para discutir impactos de uma legislação que tinha sido sancionada pelo presidente apenas um mês antes. Mostra a atualidade da discussão proposta pela Enap e a pertinência de estar dando a oportunidade para gestores estaduais de uma discussão mais aprofundada sobre um tema recente”, avalia. 

Segundo Diogo Costa, presidente da Enap, o Liderando para o Desenvolvimento quer ampliar as capacidades estatais no nível local, nos pontos de contato entre cidadão e setor público. “É um canal de transferência de conhecimento com força para derrubar as barreiras ao desenvolvimento do país”. Para Diogo, o programa se destaca pelo foco na gestão ágil, a formação de liderança e a construção de redes entre os gestores. 

Aprendendo com quem já experimentou

Apesar de avaliar que o curso não orienta a tomada de decisão stricto sensu, o secretário do Ceará destaca a obtenção de conhecimentos técnicos e as oportunidades para participar de discussões deste tipo com os titulares de pastas das demais unidades da federação. “Estamos vivendo com incertezas e inseguranças naturais da mudança. A possibilidade de entender que não estamos sozinhos nessas preocupações ajuda-nos a saber onde buscar informações adicionais para subsidiar o processo de tomada de decisão”.

Para Rodrigo Torres, diretor de Educação Executiva da Escola, foi traçada uma metodologia condizente com as necessidades desse público. “Usamos uma abordagem dialógica, com ênfase nos desafios contemporâneos e reais da gestão”. Rodrigo explica que, a partir do compartilhamento de boas práticas e experiências aplicadas nacional e internacionalmente, o programa permitirá que as lideranças apliquem mudanças aderentes à sua realidade local. 

Um dos temas que todos os estados enfrentam é a regionalização. “O curso deu oportunidade de conhecer por exemplo a experiência da regionalização da Bahia,  trouxe essa discussão sobre exemplos das consultorias do BNDES para Alagoas e o que está sendo discutido pela Cedae no Rio de Janeiro. São três casos práticos, que não necessariamente o Ceará vai adotar, mas isso se soma ao cardápio de alternativas que o gestor tem para construir a solução que seja pertinente a sua realidade particular. Ao fazer isso, ele poderá oferecer para a polução uma política de melhor qualidade, assim a gente espera”, finaliza Paulo.

Sobre o Liderando

Em breve a Enap abrirá inscrições para os secretários estaduais de outras pastas, como planejamento e administração, segurança pública, assistência social e coordenação política. Ao todo, a Escola pretende alcançar mais de mil representantes da alta gestão estadual e municipal. O programa está dividido em encontros virtuais e presenciais, no caso dos novos prefeitos, e em encontros virtuais no caso dos secretários estaduais e municipais. São 40 horas de capacitação, com acesso a profissionais, instrutores e materiais de ponta. 

Novos prefeitos 

A partir de 2021, a Enap irá oferecer também uma formação sobre gestão pública para 500 novos prefeitos eleitos para que estejam preparados para o mandato de quatro anos. Serão abordados temas como orçamento, governança, políticas públicas, transferência da União, compras públicas e tecnologia da informação. Também está prevista, para o próximo ano, a capacitação de futuros secretários municipais.