A Escola Nacional de Administração Pública (Enap) foi palco, nesta terça-feira (20/02), do “Diálogos digitais: Pensando juntos sobre a agenda digital do G20”. O evento marcou o início de uma série de debates abertos que o grupo de envolvimento T20 (Think20) pretende organizar para reunir partes interessadas envolvidas em pesquisas e agendas políticas para compartilhar insights e fomentar questões de economia digital no contexto da presidência brasileira.

Através de painéis e sessões de discussão, os participantes tiveram uma compreensão mais abrangente sobre desafios e como contribuir para moldar uma economia digital comum à agenda de todos. O debate foi aberto a autoridades governamentais, acadêmicos, pesquisadores e empresas que defendem a inclusão digital, facilitando esforços coletivos para influenciar a direção da governança e política digital global. 

Para a presidenta da Enap, Betânia Lemos, é um momento especial receber essa reunião, já que a instituição tem se colocado como locus de discussão livre. “Temos construído um espaço para que os gestores, servidores, organismos internacionais e todos os agentes envolvidos com temas relacionados à agenda mundial possam se encontrar em um ambiente que promova o diálogo e unam pontos de vista diferentes”, disse.

O G20 é um fórum de cooperação econômica internacional e tem envolvimento do T20 (Think20), um dos diversos grupos de engajamento paralelos ao G20 que reúne representantes de diferentes setores para debater sobre pontos importantes para o bloco dos países envolvidos, com a força tarefa "Transformação Digital Inclusiva". O G20 consolidou-se como o principal fórum global para o diálogo e a coordenação sobre questões econômicas, sociais, de desenvolvimento e questões de cooperação internacional. O evento foi co-organizado pela Datasphere Initiative, Data Privacy Brasil, Center for Tecnologia e Sociedade (CTS-FGV) e NIC.br.

Essa é uma oportunidade para o Brasil apresentar seus atributos e credenciais e projetar políticas públicas, prioridades e relações externas nas áreas de atuação do grupo. Dentro da dimensão Economia Digital do G20, o Brasil identificou quatro prioridades principais: conectividade universal e significativa, inteligência artificial, integridade e confiança da informação no ambiente digital e governo digital.

“O Brasil tem experimentado várias transformações digitais, como a plataforma Gov.br, que hoje tem mais de 150 milhões de pessoas inscritas e que mudou a forma em que a população acessa os serviços governamentais.Para que serve a transformação digital senão para melhorar a vida do cidadão? É uma ferramenta de conexão e reforço da democracia”, ressaltou Betânia Lemos.   

O encontro faz parte do esforço do Brasil para continuar a promover uma sociedade inclusiva, sustentável e uma abordagem orientada para o desenvolvimento e centrada no ser humano, com os objetivos globais de desbloquear todo o potencial da economia digital para todos, melhorar a vida das pessoas, eliminando barreiras digitais.